segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Cabana de praia ganha ares de loft

Esta cabana de 36 m², na praia fluminense de Itacoatiara, era usada apenas em dias de festa. Em uma reforma, a designer de interiores Monica Hulme transformou a construção em um estúdio sob medida para a filha Jessica morar.

- A cal é uma ótima opção para pintar as paredes, pois deixa a alvenaria respirar, evitando o mofo. Aqui, a designer de interiores usou cal branca nas superfícies internas e externas.
- Janelas do tipo camarão, que se recolhem completamente, garantem a boa ventilação. Elas foram associadas a persianas de madeira branca para dosar a luminosidade.
- Evite usar metal porque a maresia oxida o material. "Priorizei as peças de madeira. Na cozinha, a marcenaria se apoia numa estrutura de alvenaria, simples e econômica", diz Monica.
- Uma base de cores claras permite que os objetos e acessórios da decoração abusem de nuances mais fortes. "Como há muita luz, eles não pesam no ambiente", ensina Monica .

Os móveis precisam ser leves, fáceis de deslocar, para que a mudança da configuração do quarto em sala não vire um transtorno.

O bangalô foi cercado de deques feitos de cruzetas (Geraldo Vieira Marcenaria), mantidas sem tratamento. Somente o banco recebeu uma demão de stain. Almofadas coloridas da Orlean.

O ambiente principal da cabana está organizado como sala, com os dois estrados baixos separados e os colchões cobertos de mantas do tipo boutis listradas. Almofadas de diferentes estampas (Zebras e Fina Flor) somam conforto ao sofá improvisado.

A maior parte do tempo, porém, a cama de Jessica permanece montada: estrados e colchões se unem e uma cabeceira ripada entra em cena.

Outro exemplo de despojamento: em vez de portas, cortinas de tecido resguardam a área do closet.

Poucos armários fechados e muitas prateleiras, na cozinha integrada, deixam à mostra utensílios graciosos, que a designer de interiores encontra com seu olhar treinado.

Portas do tipo veneziano mantêm o interior dos armários sempre arejados. Para guardar mantimentos e utensílios, cestos de fibra natural são bons substitutos das gavetas.

No cantinho do computador, a estante foi montada com caixotes pintados de vermelho. "Improvisos como este reforçam o tom descontraído da decoração, quase de uma casa de pescador", diz Monica.

Reportagem visual e texto Simone Raitzik
Fotos André Nazareth
Ilustrações Carlos Campoy

2 comentários:

  1. Adorei ... Beijocas. Celina.

    ResponderExcluir
  2. Mary, ficou muito lindo o imóvel! Manter o ambiente arejado, com o mínimo de portas ajuda a afastar o mofo q é comum no litoral!

    Bjs,

    Luiza Mallmann
    decorarsustentavel.blogspot.com

    ResponderExcluir